Organizando arquivos DBF

A geração de mapas utilizando softwares de geoprocessamento depende muito de uma boa organização do arquivo DBF. Para essa tarefa, é possível utilizar o próprio software de geoprocessamento ou outros como MS Access, MS Excel ou OpenOffice Calc.

Uma boa opção é editar o arquivo DBF no MS Excel, copiar todo o conteúdo para o OpenOffice Calc e salvar em seguida para DBF novamente. O OpenOffice Calc, além de ser gratuito, permite configurar o cabeçalho (nome dos atributos) com muita facilidade.

O quadro abaixo representa um DBF com atributos numéricos e alfanuméricos, configurados no OpenOfffice Calc conforme o tipo, tamanho e casas decimais. A primeira linha contém os nomes dos atributos ou campos.

ID,N,2,0 UF,C,2 ESTADO,C,20 SIGLA,C,6 POP1996T,N,19,0

1

TO Tocantins NO 1048642

2

PI

Piauí

NE 2673085
3 PB

Paraíba

NE

3305616

4 RN Rio Grande do Norte NE

2558660

5

SC Santa Catarina SU 4875244

6

MT

Mato Grosso CO

2235832

Após o nome do atributo, inclua C para tipo alfanumérico e N para numérico. A explicação para a configuração do quadro acima é a seguinte:

  • ID,N,2,0 – atributo do tipo numérico de tamanho 2 e zero casas decimais
  • UF,C,2 – atributo do tipo alfanumérico de tamanho 2
  • ESTADO,C,20 – atributo do tipo alfanumérico de tamanho 20
  • SIGLA,C,6 – atributo do tipo alfanumérico de tamanho 6
  • POP1996T,N,19,0 – atributo do tipo numérico de tamanho 19 e zero casas decimais

Algumas dicas para organizar o arquivo DBF:

  • Utilize nomes dos atributos (campo) de fácil entendimento, sem caracteres especiais e com tamanho máximo de 10 caracteres;
  • Utilize caracteres maiúsculos nos nomes dos atributos;
  • Crie um arquivo de metadados para explicar melhor os nomes utilizados nos atributos;
  • Defina o tipo do campo: numérico (N) e alfanumérico (C);
  • Configure o tamanho do campo e, se numérico, a quantidade de casas decimais;
  • Procure não deixar registros sem valores. Se isso acontecer, normalmente os atributos passam a ser considerados do tipo alfanumérico, mesmo se configurados como numérico;
  • Crie um atributo numérico sequencial (ID, conforme exemplo acima) para que você possa classificar e reclassificar a tabela.

A configuração inadequada do DBF pode deixar o tamanho do arquivo muito grande, comprometendo a velocidade de utilização dos softwares de geoprocessamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *